JOÃO GILBERTO

Dia triste para a música brasileira. Despedida do gênio João Gilberto. 06/07/19… Estou fazendo este post meio sem palavras, já pensando em editar depois e colocar mais algumas coisas. Matérias, entrevistas. Por enquanto só fica o silêncio.

Disco Gilbertos Samba, homenagem do colega e fã Gilberto Gil só com músicas que foram sucesso nas gravações do João. (um belo disco!)

Matéria que o Fantástico exibiu cobrindo o falecimento e falando sobre o impacto da obra do artista no Brasil e no mundo. (dividida em 2 blocos)

https://globoplay.globo.com/v/7746984/

https://globoplay.globo.com/v/7746983/

Post de Caetano Veloso no Instagram:

View this post on Instagram

João Gilberto foi o maior artista com que minha alma entrou em contato. Antes de completar 18 anos, aprendi com ele tudo sobre o que eu já conhecia e como conhecer tudo o que estivesse por surgir. Com sua voz e seu violão, ele refez a função da fala e a história do instrumento. Pôs em perspectiva todos os livros que eu já tinha lido, todos os poemas, todos os quadros, todos os filmes que eu já tinha visto. Não apenas todas as canções que ouvi. E foi com essa lente, esse filtro, esse sistema sonoro que eu passei a ler, ver e ouvir. Aos 88 anos, com aspecto de quem não viveria mais muito tempo, João morrer é acontecimento assustador. Orlando Silva, Ciro Monteiro, Jackson do Pandeiro, Ary, Caymmi, Wilson Batista e Geraldo Pereira não teriam sido o que são não fosse por João Gilberto. Tampouco Lyra, Menescal e Tom Jobim. Ou os que vieram depois. E os que virão. O Hino Nacional não seria o mesmo. O mundo não existiria. Sobretudo não existiria para o Brasil. Que era uma região ensimesmada e descrente da vida real fora de suas fronteiras. João furou a casca. O samba não seria samba sem Beth Carvalho cantando "Chega de Saudade". A música não seria música sem a teimosia de João. Ele foi uma iluminação mística. Nenhum aspecto do mundo que ele sempre tocou tão rente pode ameaçar a grandeza da verdade de sua arte. E isso era sua pessoa. É sua pessoa, em todos os sons gravados em matéria ou na minha memória. 🖤🌹 . 📸 1. Em SP, na inauguração do Credicard Hall em 1999. 2. Caetano e João – Buenos Aires, em 1999 3. Caetano, João e Gal | No estúdio da Tupi, em 71 4. Turnê na Europa, com @zecalveloso e Luana Costa (@lulu__costam) 5. Em 1990, durante o Festival Internacional de Jazz na França . #CaetanoVeloso #JoãoGilberto #RIPJoaoGilberto #ChegaDeSaudade

A post shared by Caetano Veloso (@caetanoveloso) on

Post do músico Tiago Amud no Instagram:

João Gilberto, eterno. Obrigado, mestre.

Anúncios

JOINED

A ideia do Joined surgiu no festival de jazz de Trancoso, na Bahia. Lá o pianista, compositor e arranjador Cesar Camargo Mariano conheceu 3 músicos clássicos, dois alemães e um francês. Do encontro, nasceu uma amizade. Com a amizade, Cesar se sentiu à vontade pra sugerir a ideia da parceria. Um disco, um show, quem sabe um DVD. Os 3 aconteceram. O show, aliás, aconteceu em diversas partes do mundo. E foi um dos lançamentos mais elogiados do ano passado, com indicação ao Grammy e tudo.

Abaixo o teaser do projeto, com trechos de algumas músicas.

Nessa matéria, o próprio Cesar fala um pouco do Joined:

Uma obra prima. 🙂 Clique no PLAY abaixo para ouvir o disco no Spotify:

Cesar Camargo Mariano (piano, arranjos e produção)
Rüdiger Liebermann (violino)
Walter Seyfarth (clarinete)
Benoit Fromanger (flauta)
Conrado Goys (violão)
Sidiel Vieira (baixo)
Thiago Rabello (bateria)

Para comprar o DVD:

BRASIL
Loja Tratore: https://tinyurl.com/kh9cye6
Livraria Cultura: https://tinyurl.com/lugp6ol
Livraria Saraiva: https://tinyurl.com/maltmmh

JAPÃO
Taiyo Records: http://taiyorecord.com/?pid=115474338

Clique AQUI e leia a excelente coluna do produtor musical Cássio Laranja sobre o disco Joined e também sobre o livro de memórias do Cesar. 

 

DIA DA ÉLIS

Hoje a cantora Elis Regina faria 73 anos. Ou a ÉLIS, como carinhosamente chamava o colega e ídolo Tom Jobim. Aqui ela canta uma música de Tom, Águas de Março.

E vale sempre escutar o clássico disco Elis & Tom, que marca o encontro em estúdio de Elis Regina, Tom Jobim e Cesar Camargo Mariano, então marido de Elis, que produziu e fez os geniais arranjos do disco.

A oportunidade de gravar um disco com Tom foi um presente da gravadora Philips pelos 10 anos de contrato de Elis. Clique no play e ouça essa maravilha aqui:

 

MEU PAI

Minha primeira referência musical é o meu pai. Desde criança (pra não dizer desde que eu estava na barriga de mamãe rs) ouço seu violão tocando bossas e sambas, sambas e bossas. Conheci todas as músicas da Bossa Nova antes de conhecer as músicas da Xuxa ou Balão Mágico.

Meu pai se chama Henrique Benny, gravou discos e compactos nos Rio de Janeiro, depois se mudou pra São Paulo, onde trabalhou em hotéis, restaurantes… Conheci de perto a difícil vida de músico e ouvi muitas, muitas histórias.

Meu pai já não está mais por aqui, ano passado completou uma década. Mas a marca ficou, claro. Dedico este post a ele e vou colocar aqui embaixo uma playlist do Youtube com 7 músicas que ele gravou nos anos 60 (Gravadora RCA Victor), ao lado de grandes músicos como Edison Machado e JT Meirelles.

(Clique no PLAY para ouvir todas na sequência ou clique na seta no canto superior esquerdo para escolher as faixas)

 

CLIPE NOVO

Hoje nas timelines da vida, todo mundo falando sobre o clipe novo da Anitta. Mas, mudando de assunto, (rs) quem também acaba de lançar um clipe novo é o João Bosco. 🙂

A música se chama “Ultra Leve”, a composição é uma parceria com o Arnaldo Antunes e a gravação é uma parceria com a sua filha, Julia Bosco.

 

Agora o clipe da Anitta rs

 

 

Voltando pro João Bosco e finalizando o post, a música está no disco novo que se chama “Mano que Zuera”. Segue aí o link pra escutar no Spotify.

JOÃO GILBERTO

Notícia triste hoje falando que o João Gilberto, com a saúde fragilizada, foi interditado pela filha Bebel, que veio de Nova York pra cuidar do pai.

O motivo da interdição judicial divulgado na notícia foi o seguinte: “para pôr fim aos negócios temerários que João vinha sendo orientado a firmar, que resultaram na atual condição de quase miserabilidade do artista”.

Existe uma briga da atual mulher dele com os filhos. Que é explicada em detalhes nesta matéria do UOL. (E também nesta outra)

O jornalista Kiko Nogueira escreveu hoje sobre o caso na sua coluna no DCM.

Maior do que as polêmicas, a ganância e as divergências familiares é a bela obra do gênio João Gilberto. Nosso apoio, nossas orações e nosso PLAY 🙂

ELIS & CARMINHO, BRASIL & PORTUGAL

Um dos discos mais clássicos da música brasileira é o Elis & Tom, lançado em 1974. Um disco idealizado pela Elis Regina, só com músicas compostas pelo Tom Jobim, e gravado pelos dois juntos. (Arranjado e produzido pelo então marido da Elis, Cesar Camargo Mariano) Só de colocar o disco aqui embaixo eu já não precisava falar mais nada.

Mas claro que vou falar alguma coisa rs Em dezembro de 2016 (42 anos depois) a cantora portuguesa Carminho também lançou um disco só com músicas do Tom, chamado Carminho Canta Tom Jobim. (Com participações de Marisa Monte, Maria Bethânia e Chico Buarque)

carmino - chico buarque2.png

Neste disco, algumas músicas do Elis & Tom são revisitadas. E achei interessante alinhar as interpretações da Elis e da Carminho, tipo um eixo Brasil-Portugal (Ou um eixo 1974-2016, Carminho nasceu só em 1984, 10 anos depois da gravação de Elis & Tom!) Fiz uma playlist colocando em sequência as músicas que as duas gravaram:

Pra fechar o post, o clipe da música Estrada do Sol, que Carminho gravou com sua amiga brasileira Marisa Monte.